Últimas
Produtor da notícia

Bastonário dos advogados diz que ilícitos eleitorais são "inadmissíveis"

30 de Outubro de 2014, 20:30

Maputo, 30 out (Lusa) - O bastonário da Ordem dos Advogados de Moçambique (OAM), Tomás Timbane, considerou hoje "inadmissíveis" os ilícitos eleitorais registados nas eleições gerais de 15 de outubro, instando os partidos a denunciarem os casos "com provas" ao Conselho Constitucional.

À saída do local onde foram divulgados hoje os resultados eleitorais em Maputo, Tomás Timbane lamentou que na nona eleição feita em Moçambique se tenham verificado irregularidades como atos de invalidação de editais, que o presidente da Comissão Nacionais de Eleições (CNE), Abdul Carimo, admitiu terem ocorrido no sufrágio.

"Este reconhecimento da CNE não é novo: em todas as eleições, não só a CNE, como o Conselho Constitucional, têm feito referência a um conjunto de irregularidades, como rasuras nos editais, portanto, isto não é uma situação nova", lamentou.

Banca de jornais

Acompanhe as eleições